Publicado por Boselli / cronicas/poesias/reflexões em Quarta-feira, 24 de abril de 2019
Meu Diário
01/01/2016 22h50
A LUZ APAGOU

  Oito horas da noite e o meu prédio está no escuro. Uma boa parte do quarteirão,aqui perto do hospital São Paulo também. Hoje é o primeiro dia do ano de 2016 e muito provavelmente vou ter que tomar banho de canequinha. As informações  são desencontradas. A energia pode voltar em menos de quatro horas...ou não. Oi ..?
Fui me virando do jeito que deu. Roubei todas as velas dos santos e levei pra cozinha. Tomei meu prato de canja a luz de vela e lavei toda a louça suja da pia,sob a luz amarelenga e oscilante de quatro velas brancas,estratégicamente distribuidas pelo ambiente.
Criatividade é o que não me falta.

Lembrei do sitio dos tios em Itagaçaba. Fazíamos tudo sob a luz de lamparinas de querosene.Eu escovava o dente,usava o piniquinho,tomava leite quente,punha pijama,ia na cozinha beber água da moringa,tudo só com a luz da pequena lamparina de querosene,que ia comigo pra lá e pra cá,de um cômodo a outro da casa.
Quatro horas sem energia elétrica,pra mim é relax.

Minha filha xilicou. Pegou o carro e se mandou pra casa de uma amiga para tomar banho, usar internet e assistir TV.
Pois é...

                                                                                            Maat / 2015

 


 


Publicado por Maria da Penha Boselli em 01/01/2016 às 22h50
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.